CIÊNCIA DE DADOS E A COPA DO MUNDO DE FUTEBOL

Texto por: César Ventura

Estamos no final de 2022 e, assim, uma época muito esperada por boa parte dos brasileiros e habitantes do mundo chegou: a copa do mundo de futebol.

Dito isso, a ciência de dados está cada vez mais presente em nossas vidas, e ela também não poderia ficar de fora de um evento tão especial. Na verdade, a área é uma parte fundamental da copa há anos.

foto : Reprodução/ Wikimedia Commons

E como a ciência de dados estará presente?

Não é de hoje que alguns times se baseiam em dados para contratar ou despedir jogadores devido à performance numérica em certa temporada, e isso não foi diferente na organização da copa do Catar.

Neste ano, os representantes da área que foram contratados pelos organizadores do evento terão que entregar leituras numéricas desafiadoras, como os desempenhos individuais de cada jogador e até mesmo a previsão de performance de atletas que não participaram de uma jogada.

Cada convocado a participar da copa tem acesso a certas categorias pode ajudá-lo a performar melhor do que o esperado. Os atacantes, por exemplo, poderão ver a frequência de sua corrida e resultados sobre a defesa dos adversários, enquanto os defensores poderão acessar dados sobre o incômodo gerado aos adversários quando estiverem com a posse de bola.

Esses dados são gigantes e têm como principais funções:

  • Fazer o acompanhamento do desempenho de seleção;
  • Saber qual foi a colaboração individual de cada jogador;
  • Gerar parâmetros para substituições, posse de bola, dentre outros;
  • Simular disputas entre equipes;

Mas… como isso é feito?

Todas essas análises serão coletadas por várias fontes, como os coletes com sensores de movimento que os jogadores usarão e as inúmeras câmeras espalhadas por todos os estádios. Com isso, os cientistas de dados tem informações o suficiente para captar dados sobre passes certos, cabeceios no gol, posse de bola. distância percorrida, velocidade média, número de chutes em cada pé, etc.

Com todos esses dados em mãos, vários trabalhos podem ser feitos por modelos preditivos, o que gera insights valiosos sobre como alterar os treinamentos, o que cada jogador deve melhorar e como o técnico pode dispor sua equipe para um melhor desempenho dentro de campo.

“Modelos matemáticos de OXFORD preveem o resultado da copa do mundo de futebol de 2022.”

foto : Reprodução/ SportStiger

Nesse ritmo, algo que está muito na moda são os vários pesquisadores de universidades renomadas utilizando modelos de machine learning para prever quem será o campeão da copa do mundo. E sim, isso é possível.

Por meio de inteligência artificial e alguns modelos estatísticos, pesquisadores fizeram predições sobre quem terá a maior chance de levantar a taça no final do campeonato.

Para a alegria de nós, brasileiros, o Brasil se encontra como campeão na maioria delas, à frente até mesmo de grandes seleções como França, Argentina e Bélgica.

Viu como a ciência de dados está presente em várias partes da nossa vida?

Conte com a MINEHR para aprender mais sobre a área! Da adoção do people analytics aos modelos preditivos mais avançados, levamos tecnologia, estatística e gestão de pessoas para trabalhar a favor do seu negócio.

Por isso, sinta-se à vontade para navegar por nosso portal de conteúdo e dar o start no movimento que fornece possibilidades mais justas, estratégicas, e menos enviesadas.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =

Mapa do site

© 2024 · MineHR – Todos os direitos reservados